Um novo ano começou e com ele novos sonhos. Para quem sonha em adquirir o seu imóvel, temos excelentes notícias. Nesta terça-feira (02), a Caixa Econômica Federal anunciou que está retomando a linha de crédito Pró-Cotista, suspensa em junho do ano passado e uma ads mais baratas do país - ficando atrás apenas do Minha Casa Minha Vida. O banco, que sofre com falta de recursos recebeu um novo montante destinado à Pró-Cotista, liberado pelo FGTS, encontrando assim, espaço para voltar a oferecer crédito. O valor disponibilizado é de 4 bilhões de reais, totalizando 2,1 bilhões de reais a menos do que o liberado no ano anterior (6,1 bilhões de reais). 

Além disso, o banco elevou o limite de financiamento de 50% para 70% para imóveis usados, ou seja, a exigência da entrada para financiar imóveis usados, caiu de 50% para 30%. Para novas unidades o percentual de 80% no teto do financiamento foi mantido. A Pró-Cotista utiliza recursos do FGTS e é oferecida apenas pela Caixa e o Banco do Brasil. Segundo a revista Exame, a taxa de juros aplicada a tomadores que não têm relacionamento com o banco, a chamada taxa balcão, é de 8,85% ao ano na Caixa e de 9% ao ano no Banco do Brasil. Caso o comprador tenha relacionamento com a Caixa, os juros cobrados na Pró-Cotista podem ser ainda menores e chegar a 7,85% ao ano. O prazo máximo de financiamento oferecido na Pró-Cotista em ambos os bancos públicos é de até 360 meses.

Para ter acesso à Pró-Cotista FGTS, é necessário ter contribuído ao FGTS por mais de três anos, consecutivos ou não, na mesma empresa ou em empresas diferentes e, se enquadrado nessa exigência, a conta vinculada ao fundo deve estar ativa. Basicamente, o trabalhador deve estar empregado e realizar atualmente contribuições mensais ao FGTS. Entretanto, ainda que o tomador esteja desempregado ou trabalhando sob outro regime de trabalho, que não implique em contribuição ao fundo atualmente, se o saldo do FGTS for equivalente a pelo menos 10% do valor do imóvel, a linha poderá ser concedida. Além disso, não há restrição em relação à renda familiar, porém, o comprador não pode ter outro financiamento imobiliário e nem posse de outro imóvel residencial urbano, concluído ou em construção na mesma cidade, em municípios limítrofes ou na região metropolitana da cidade onde vive. 

Enfim, é uma excelente oportunidade para se adquirir um imóvel, pois você não encontrará dinheiro mais barato, atualmente. Garanta que você terá condições de bancar as parcelas, procure acumular um montante para a entrada, utilizando ou não o seu saldo do FGTS, e caminhe para conquistar o seu imóvel em 2018. Conte conosco para isso.

Fontes: Exame; G1.